ACESSIBILIDADE

São Miguel Arcanjo

Como chegar: Para ir até São Miguel Arcanjo, saindo de São Paulo, é preciso acessar a SP-280 (Rodovia Castello Branco) até a saída 78, a SP-075 (Rodovia José Ermírio de Moraes) até a saída 7-B, a SP-091/270 (Rodovia Celso Charuri), SP-270 (Rodovia Raposo Tavares) até a saída 102, a SP-264 (várias denominações) e a SP-250 (Rodovia Nestor Fogaça).

São Miguel Arcanjo

A cidade de São Miguel Arcanjo, distante 182 quilômetros da capital e que integra a Região Metropolitana de Sorocaba, vem se destacando como destino turístico do sudoeste paulista com uma vasta oferta de diferentes segmentos, em especial o ecoturismo, o turismo rural e até o histórico-cultural. A distinção vai para o Parque Estadual Carlos Botelho, que é administrado pela Fundação Florestal, e tem mais de 37 hectares. Faz parte do maior território contínuo de remanescentes da Mata Atlântica juntamente com a Serra do Mar, o Vale do Ribeira, a Serra da Mantiqueira e a Serra de Paranapiacaba. Nele está inserida a Estrada Parque Rodovia Nequinho Fogaça SP-139 com 35 km de extensão, além de estacionamentos, quiosques, rios, trilhas e cachoeiras em seu percurso.

Bom ressaltar que este Parque é patrimônio natural da humanidade da UNESCO devido à sua importância socioambiental, cultural e histórica.  Abriga florestas ombrófilas (também chamadas de florestas tropicais fluviais) densas, em que se destacam espécies como palmito-juçara, canela, jequitibá e figueira, cujo estado de preservação é considerado elevado. Em seu território, ainda há espécimes da fauna ameaçados de extinção: onça-pintada, anta, queixada. Possivelmente, o Parque é a única unidade de conservação a abrigar o muriqui-do-sul e o mico-leão-preto.

O ecoturismo de São Miguel Arcanjo, com uma população de 33.002 pessoas, de acordo com estimativas do IBGE/2020, conta também com o Parque do Zizo, Parque Taquaral e Parque da Onça Parda, todos com altos índices de preservação da fauna e flora. Além das inúmeras trilhas e cachoeiras encontradas em belos cenários de Mata Atlântica, também são praticadas diversas modalidades esportivas como trekking, cascading, bike, jeep off-road, arvorismo e observação de aves.

Frente a este cenário positivo para a atividade turística deste destino, que é Município de Interesse Turístico – MIT desde 2018, é visível a preocupação da cidade com o potencial turístico da região. Tanto é verdade que há até um quiosque de informação turística na praça central, com variados folhetos de informação à disposição do turista, além do cuidado com a limpeza da cidade, e com os parques. 

Devido também à sua riqueza agrícola, São Miguel Arcanjo desponta para o Turismo Rural com atrativos deste segmento, possibilitando assim conhecer a região denominada Rota do Vinho, que enfatiza nova experiência. As atividades que se destacam nesse estilo de turismo são: “Colha e Pague” e “Vinícolas Artesanais”, que hoje se encontram formatadas e abertas para visitação, degustação e venda dos produtos diariamente. Há várias vinícolas artesanais na cidade e a maioria delas está na Rodovia Nequinho Fogaça, caminho para o Parque Carlos Botelho. Além dos vinhos, produzem sucos de uva e algumas delas produzem geleias, doces em compota e outras guloseimas.

Uma variedade que cresce muito na cidade é a uva rústica de mesa, como a niagara, (uva com menos custo para a produção),visto que na reforma dos parreirais os produtores vêm optando pelo plantio da mesma. A uva niagara de São Miguel Arcanjo é responsável por 40% da produção do Estado de São Paulo.

Em tempo: a colônia nipônica é um dos destaques desta cidade, uma vez que envolve a maior biblioteca japonesa no Brasil com um acervo tem 74 mil livros, dos quais 70% são de histórias em quadrinhos. A superbiblioteca, aberta à visitação diariamente, está localizada pouco mais de 25 km do centro da cidade, na “Rota do Imigrante Japonês” onde se encontra esta colônia. A biblioteca não é limitada apenas a títulos de heróis de luta: há desde histórias cômicas a eróticas. Dos 74 mil livros da coleção, 70% ou 51,8 mil são mangás (histórias em quadrinhos de origem japonesa). Artes, arquitetura, culinária, religião, biografias, além dos romances policiais e clássicos, como “Pinóquio” e “Bambi” também são encontrados por lá. 

Outro local bem visitado deste destino é o Santuário de São Miguel Arcanjo.

Com uma Igreja construída na década de 1950, foi oficialmente elevada à condição de Santuário no dia 21 de Setembro de 2013. Sob a denominação de Santuário, entende-se a igreja ou outro lugar sagrado, aonde os fiéis em grande número, por algum motivo especial, fazem peregrinações.  E a devoção religiosa não para em São Miguel Arcanjo. Conta com a Via-Sacra/ Caminho dos Romeiros que é um caminho sagrado da região, onde se percorre um longo percurso a pé, de bicicleta ou a cavalo refazendo em memória o caminho da dor e do sofrimento de Jesus, no percurso de sua Divina missão Redentora. Marcadas por totens são encontrados ao longo do percurso as 15 estações e o término da Via Sacra que se dá no Portal do Parque Carlos Botelho.

Conta a história que Maximina Ubaldina Nogueira Terra, filha do Tenente Urias, em homenagem ao seu marido falecido,  Miguel dos Santos Terra, doou à igreja, terras para construção da capela, sob a invocação de São Miguel Arcanjo, daí derivando o nome do povoado que se formou em torno da ermida (capela ou igreja de pequena dimensão). O bairro da Fazenda Velha se transformou em um Distrito criado com a denominação de São Miguel Arcanjo em maio de 1877. Foi elevado à categoria de município com a denominação de São Miguel Arcanjo, em abril de 1889, desmembrando-se do município de Itapetininga.  Por lei é criado o distrito de Gramadão e anexado ao município de São Miguel Arcanjo.

 

Mais informações: www.saomiguelarcanjo.sp.gov.br

Fonte: www.turismo.sp.gov.br